Blog Um Ser Pensante

expondo o que pensa e sente, enquanto vive...

Category Informática

fixo

Facebook e o novo botão “Não Curti”: não vai mudar porra nenhuma

Não se enganem com os títulos sensacionalistas sobre a nova opção do Facebook de “não curtir”. Diversos artigos sobre o assunto estão se espalhando pelas redes sociais, especialmente entre os entusiastas da tecnologia de consumo. Mas que os seres pensantes não se enganem: nada vai mudar.

Facebook e opção "não curti": nada vai mudar
Facebook e opção “não curti”: nada vai mudar

Isto porque, segundo o próprio Mark Zuckemberg, “o Facebook não quer que a nova opção sirva para criticar os posts das outras pessoas. A intenção é que ela seja usada para “demonstrar empatia” em certas situações. Quando algum amigo compartilhar uma informação triste (ou uma crítica a alguma coisa), você terá a opção de clicar em Não Curti para concordar/se solidarizar com ele.” (fonte)

Eu não serei radical a ponto de dizer que o Facebook não tem sua utilidade. Qualquer ferramenta que nos permita compartilhar informações e nos comunicarmos com pessoas à distância é útil. As redes sociais são excelentes meios de nos mantermos em contato com pessoas que estão longe, ou, ainda, conhecer outras pessoas com quem temos afinidade e que não encontraríamos de outro modo por causa da distância.

Porém, o Facebook não é, e nunca será, uma ferramenta que contribua para a construção de idéias e para o debate de assuntos polêmicos; por vários motivos:

  1. a idéia original nunca foi essa – esta semana fiquei sabendo que o Facebook surgiu como uma ferramenta para voltada à popularidade entre alunas universitárias; se isso é verdade eu não sei, mas faz sentido; o importante para o Facebook é a popularidade, e não o conteúdo. E nós sabemos muito bem que conteúdo e popularidade não costumam andar juntos a maior parte do tempo;
  2. o que não é popular não dá lucro; e, obviamente, o maior objetivo do Facebook é gerar lucro. Se o Mark mudou de opinião sobre a existência da opção “não curti”, é simplesmente porque ele e seus companheiros encontraram alguma forma de fazê-la lucrativa.

Portanto, a nova opção de “não curti” não vai ser nenhuma grande mudança, como as notícias e artigos sobre o assunto querem dar a impressão. O Facebook continuará inundado de imagens de suposta felicidade – numa triste competição para ver quem é mais feliz -, de frases feitas, de videozinhos engraçadinhos e notícias falsas, outros “conteúdos” onde uma opção de “não curti” não vai fazer diferença. O máximo que poderia acontecer, caso essa opção servisse para criticar as postagens, é alguma polêmica nas postagens sobre política, onde os “curti” e “não curti” dividiriam quem ama e quem odeia a Dilma, o Lula e o PT.

um ser pensante